Libertadores 2009

Eu bem que tentei escrever algum texto do jogo final entre Cruzeiro e Estudiantes, buscava escrever algo com um pouco de poesia, sem esquecer do ácido crítico, mas depois de ler um texto da Bruna, desisti, ela consegui sintetizar o que eu penso do comportamento atleticano, portanto deixo aqui um link para o texto direto no blog dela.

Sobre o jogo, não há muito que falar, já que o Cruzeiro mal jogou futebol, e quando resolver fazê-lo, já em desvantagem no placar, a situação ficou mesmo muito difícil. Contrariando as palavras do nosso Gladiador: O gol perdido na Argentina fez sim muita falta! Seria a garantia de mais algum tempo extra, na prorrogação, esperança de que o time encontrasse seu melhor futebol.
No aspecto tático, não entendi o motivo da insistência na permanência de Ramires no meio-campo, desde que voltou da seleção brasileira, nosso “Perna Longa” deixou de apresentar toda aquela agilidade que estávamos acostumados. Wagner pouco produziu, e apesar de detestar a presença de Athirson em campo, durante o pouco tempo em que ele permaneceu em campo, fez dois passes que poderiam resultar em gol.
O time agora precisa ser reforçado em algumas posições, e a comissão técnica tem que voltar o foco para conseguir nova classificação à Libertadores, em 2010. Na edição desse ano, a equipe já demonstrou um comportamento mais maduro, mais argentino, durante toda a competição, mas ainda não foi o suficiente. Talvez com essa derrota sofrida, alguns de nossos jogadores consigam realizar o que de fato é necessário para vencer o torneio continental.
Mas nem tudo são notícias ruins: Parece que a Libertadores conseguiu fidelizar milhares de torcedores no programa “Sócio do Futebol”. Ainda não fiz minha adesão, mas pretendo fazer no futuro próximo, e espero que aqueles que se associaram agora, não desistam e continuem sócios, pois esta é uma excelente forma de renda para o clube manter sua estrutura de futebol.