Padre Quevedo e os mitos dos automóveis

Padre Quevedo faleceu aos 89 anos de idade, o religioso ganhou fama ao conduzir um quadro no programa Fantástico da Rede Globo, onde usava como um bordão a frase “Isso non ecziste!“, ao desvendar charlatões e mitos da natureza, quase sempre mal interpretados como fenômenos paranormais.

Aproveitando o bordão vamos falar de alguns mitos comuns sobre os automóveis?

  1. Andar na banguela (em ponto morto) economiza combustível – Isso non ecziste! Os sistemas de injeção eletrônica mudaram o comportamento dos motores quando estamos descendo um aclive com o carro com uma marcha selecionada, em geral o carro até deixa de injetar combustível nessa condição, portanto, muito pelo contrário, manter o carro sempre com uma marcha engatada trás economia de combustível.
  2. Alternar combustível em motores flex – Isso non ecziste! Os motores flex foram projetados para usar gasolina ou álcool em qualquer proporção e por prazo indeterminado. Recomenda-se apenas ao trocar de gasolina por álcool, rodar alguns quilômetros até o sistema de injeção eletrônica ser capaz de identificar a mudança e assim evitar dificuldades na partida a frio seguinte à mudança.
  3. Andar na reserva estraga a bomba de combustível – Isso non ecziste! As bombas podem trabalhar com o tanque na reserva sem problemas, as teorias de que nessa condição a bomba aspira sujeira do fundo do tanque e a bomba não é resfriada pelo fato de não estar submersa em combustível, são incorretas: O combustível sempre é aspirado do nível mais baixo do tanque e a bomba é resfriada pelo combustível que passa por seu interior.
  4. Carros zero km precisam de amaciamento de motor – Isso non ecziste! Os motores atualmente são construídos com tecnologias que dispensam o moroso processo de amaciamento, apenas os primeiros 50 quilômetros são suficientes como precaução.
  5. Aquecer motor antes de sair – Isso non ecziste! Os motores além de melhor construídos atualmente, possuem sistemas e óleos de lubrificação bem superiores ao passado, e também com a chegada da injeção eletrônica, tal prática deixa de ser necessária, mesmo em motores flex abastecidos com álcool.

Nossos sentimentos à família do Padre Quevedo.