FCA propõe fusão com Renault

Compartilhamento de pesquisa e desenvolvimento em busca de redução de custos, este é um dos principais objetivos da fusão entre Fiat Chrysler (Grupo FCA) e a Renault, sendo que provavelmente a aliança entre o grupo francês com Nissan e Mitsubishi pode continuar.

No mercado dos Estados Unidos, a FCA é líder com modelos SUV e picapes, enquanto a Renault possui grande experiência no desenvolvimento de veículos elétricos no mercado europeu. Essa soma de experiências parece ser a estratégia por trás da oferta da FCA com a fusão.

Redução de custos

Segundo informações do “The Guardian”, a fusão pode ser suficiente para a economia de 5 bilhões de dólares, sendo que as pesquisas deverão ser concentradas em pesquisas tecnológicas para desenvolvimento de veículos elétricos, autônomos e com inteligência artificial embarcada e conexão com a internet, que parece ser o caminho para os automóveis do futuro.

Se aprovada, a fusão deverá dividir o novo grupo em 50% para cada lado, embora seja favorável à fusão, o governo francês, que possui 15% da Renault atualmente, se preocupa com a possibilidade da redução dos postos de trabalho caso a fusão seja aprovada, segundo um porta-voz do governo daquele país.

O maior grupo do mundo

A fusão dos fabricantes pode resultar no terceiro maior grupo fabricante de automóveis do mundo, capaz de produzir quase 9 milhões de automóveis anualmente. Caso a fusão envolva o braço japonês da aliança da Renault, o grupo poderá ser o maior do mundo, capaz de produzir até 11 milhões de automóveis-ano. As ações das duas companhias chegaram a subir mais de 12% nesta manhã de segunda-feira.

Com informações do “The Guardian”:
https://www.theguardian.com/business/2019/may/27/fiat-chrysler-proposes-merger-with-renault-to-reshape-car-industry