Mudanças nos nomes dos automóveis

Não é novidade uma marca mudar o nome de um modelo quando uma nova geração se aproxima, mas não é por isso que não deixa de chamar a atenção a tremenda cara-de-pau dos fabricantes.

A Nissan prepara o terreno para a chegada do novo Versa no país, e assim como as marcas mais antigas do mercado já fazem há algum tempo, a Nissan resolveu rebatizar o modelo atual, passando a chamá-lo de V-Drive, sendo que o nome por si só já é patético.

A Chevrolet adotou recentemente estratégia similar, ao trocar o nome do Onix na primeira versão para Joy, outro nome insosso e que não é capaz de disfarçar o que é óbvio em todos as situações similares do mercado, que é quando o fabricante pretende dar um ar de novidade ainda mais destacado ao produto que será oferecido.

Mas na prática, quem irá chamar o Versa de V-Drive, o Onix de Joy? Ninguém, só a tabela FIPE mesmo. Daí eu nem mesmo acredito que a tática de separar os dois produtos na cabeça do consumidor fará sentido, dá pra imaginar a pergunta ao vendedor na concessionária: Mas esse aqui não é o Versa?

No ranking de vendas é diferente

Já no ranking de vendas, como reclamou a Chevrolet tão logo houve a mudança do novo do Onix, as fábricas preferem contabilizar os nomes de um nome único, já que as fábricas perseguem o título de mais vendido, talvez por constatarem que o mercado brasileiro dá atenção à esse particular.