Ninguém obriga Bolsonaro a tomar vacina

Bolsonaro não consegue realmente perder a oportunidade de permanecer calado. Dessa vez ao manifestar sua opinião após ser instigada por uma apoiadora, o presidente respondeu:

A vacina… ninguém pode obrigar ninguém a tomar vacina.

Jair Messias Bolsonaro

O sujeito é realmente um despreparado. Desde o início da pandemia, Bolsonaro vem defendendo contra a ciência o uso da hidroxicloroquina, e agora no sentido oposto, quando existem alternativas de vacina ainda em desenvolvimento e que eventualmente podem ter pesquisas aceleradas em razão da amplitude mundial, vem uma mensagem anti-vacina como essa.

A declaração, somada à onda anti-vacina impulsionada pela rapidez da internet, servirá apenas para, infelizmente, uma leva de seguidores desse senhor negar os incríveis avançados da saúde pública, alcançados até aqui somente pelas campanhas públicas de vacinação.

O argumento da apoiadora, vacina só em 14 anos

Eu não sou especialista, minha área não é saúde. A apoiadora do Bolsonaro ao afirmar que em menos de 14 anos uma vacina não estaria pronta, faz sentido. Pessoas como Atila Marino há tempos informam que o desenvolvimento de uma vacina envolve inúmeras etapas, e que provavelmente levaríamos muito mais tempo que as primeiras especulações até alguma vacina eficiente ser disponibilizada pelo mercado.

O que há de diferente no caso do COVID-19 é obviamente a urgência mundial. Muitas doenças para as quais existem vacinas sequer acometiam em grande escala países desenvolvidos como os Estados Unidos e o bloco europeu como fez o Coronavírus.

Certamente todo o empenho desses países, com pesquisas e também investimento financeiro, certamente aceleram a entrega de algo confiável. E o limite entre o desenvolvimento e a comprovação da eficácia e segurança, considerando que o vírus causador da doença não é exatamente inédito, justificam o desenvolvimento mais ágil.

Veja o vídeo no Twitter:

https://twitter.com/SamPancher/status/1300563412712333313